AKI MORECHITA
1934 - 1998 V

Nossa Última homenagem a um craque do clique

...O Aki era um fotógrafo excepcional, que trabalhava com a Andrade há bem uns sete ou oito anos.
...Por trás de seu jeito calado, fala pausada, com todas as características externas do estereótipo oriental, paciente e concentrado, no fundo estava uma alma parecida com um vulcão, que explodia de vez em quando, combinando energia e perfeição; lapidando, esculpindo e lambendo sua fotos para nos entregar cromos lindo, imagens que usamos em muitíssimos trabalhos, publicados ao longo de nossa história.
...O Aki era, como milhares de profissionais da comunicação, um operário. Destes que não têm seu nome publicado nas colunas dos jornais. Porque não paga por isso, nem perde seu tempo com isso. Que fez sua história na paz do seu estúdio, ao lado de seus assistentes de longa data, o Sílvio e a Cidinha, acompanhado ainda por um pássaro preto e pelo seu indefectível cigarro.
...Um construtor de imagens sem badalação, mas com um trabalho que está estampado em anúncios, catálogos, embalagens, capas de disco; nos quais ninguém reconhece o autor mas que estão ali. Foi-se o fotógrafo, mas as imagens vão continuar estando.
...O Aki nos deixou meio de surpresa, sem aviso. Um ataque cardíaco fulminante o levou e restou um baita buraco no nosso dia-a-dia (não dá mais para dizer: "liga para o Aki orçar essa foto"). Ficou uma sensação de perda de qualidade.
...Ele vai fazer muita falta.